A MAIORIA DOS MIGRANTES SEM DOCUMENTOS NOS EUA ENTRAM NO PAÍS LEGALMENTE


Publicado em 20 Janeiro 2019

Compartilhe:      

A MAIORIA DOS MIGRANTES SEM DOCUMENTOS NOS EUA ENTRAM NO PAÍS LEGALMENTE

O estudo sustenta que nos últimos 10 anos, a principal forma de entrada para a população indocumentada tem sido a de ultrapassar o prazo dos vistos temporários.

maioria dos imigrantes sem documentos que residem nos Estados Unidos chegou legalmente ao país através de suas fronteiras, de acordo com um relatório do Center for Migration Studies (CMS).

O estudo sustenta que 62% das pessoas que residem nos Estados Unidos ilegalmente atravessaram a fronteira de maneira legal, usando vistos temporários.

Os outros 38% dos indocumentados entraram ilegalmente no país.

Nesse sentido, o estudo especifica que o número de pessoas que cruzaram fronteiras irregularmente foi reduzido pelo sétimo ano consecutivo.

"A chegada por via aérea e a expiração de vistos temporários foram a principal forma de entrada da população não documentada nos sete anos cobertos por este relatório", diz o centro de estudos de migração, com sede em Nova York.

O CMS alega que enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "tem-se concentrado a atenção da nação no muro da fronteira" com o México, o número de indocumentados mexicanos nos Estados Unidos declinou entre 2016 e 2017 por 400.000 pessoas.

Ele também insistiu que, em 2017, pela primeira vez, os mexicanos representavam menos da metade do número total de imigrantes indocumentados, cujo número excede dez milhões e meio.

Os dados do CMS sugerem que o número atual de mexicanos em situação irregular nos EUA é de 5.290.000, em comparação com 6.600.000 em 2010.

Desde 2010, o número total de migrantes indocumentados diminuiu em 1,3 milhão, de 11.725.000 para os 10.665.000 estimados para residir no país em 2017.

O estudo revelado pelo centro também destaca o aumento de imigrantes indocumentados venezuelanos, de 60.000 em 2013 para 145.000 em 2017, isso em razão da grave crise humanitária naquele país.

Por país, a maior comunidade de imigrantes sem documentos atrás do México é a El Salvador (670.000), seguido por Índia (630.000), a Guatemala (545.000), o Honduras (380.00) e China (305.000). O Brasil tem aproximadamente, 300.000 ilegais.

O CMS observa que no país existem 190.000 imigrantes indocumentados na República Dominicana, 175.00 Filipinas, 165.000 na Coréia, 155.000 da Colômbia, 145.000 de Venezuela, 125.000 de Equador e Haiti e 100.000 da Jamaica.

O Centro salienta que, dadas as conclusões do estudo e a evolução da imigração por país de origem, como o aumento de venezuelanos e indianos, "A América precisa de uma resposta mais embasada e profunda sobre migração irregular."

Também observa que a redução da população migrante de países como a Nicarágua, o Equador, o Peru, a Polônia e a Coréia "mostra que os migrantes não-documentados retornaram a seus países de origem, mesmo em condições difíceis".

Finalmente, ele recomenda que "um sério compromisso para melhorar as condições nos estados do triângulo norte da América Central (Guatemala, Honduras e El Salvador), Venezuela e outros países pode reduzir significativamente a população não documentada nos EUA".

 

Law Offices of Witer DeSiqueira

Fonte: CMS – Center for Migration Studies

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.