DETALHES DO PLANO DE IMIGRAÇÃO DE TRUMP QUE PUNIRIA OS IMIGRANTES

Trump defende sua dura reforma migratória.


Publicado em 26 Maio 2019

Compartilhe:      

DETALHES DO PLANO DE IMIGRAÇÃO DE TRUMP QUE PUNIRIA OS IMIGRANTES

Um olhar mais atento à reforma da imigração proposta pelo presidente Donald Trump deixa quatro questões sobre a mesa que podem punir os imigrantes nos EUA.

O plano, que ainda precisa passar pelo Congresso para aprovação, substituirá todas as categorias atuais de preferências de imigração baseadas em família e emprego por um sistema que concede pontos baseados principalmente em idade e educação.

Além dessas mudanças, cresce a preocupação em setores que defendem os imigrantes nessas áreas.

1. O governo pretende eliminar os pedidos de mais de 4 milhões de imigrantes à espera de seu "Green Card", devido aos atuais atrasos de pedidos baseados em laços familiares e emprego.

Os imigrantes que esperam por seu "Green Card" podem perder seu lugar na fila e teriam que se inscrever sob o novo sistema baseado em pontos, de acordo com um relatório da Forbes.

A Casa Branca disse que as pessoas que estão atualmente esperando por seus "green cards" receberão pontos adicionais, mas nenhum detalhe específico foi dado, então Trump confirmou quando apresentou o projeto. "Vamos substituir o green card existente, as categorias por um novo visto, o visto Build America."

2. Os indivíduos devem passar em exames de inglês e civismo antes de se tornarem residentes permanentes.

Nos termos do Artigo 312 da Lei de Imigração e Nacionalidade, para se tornar um cidadão depois de viver como um residente permanente por pelo menos cinco anos (três anos para cônjuges de cidadãos norte-americanos), um imigrante deve demonstrar que "1) compreende o idioma Inglês, incluindo a capacidade de ler, escrever e falar palavras em uso normal. . . [e] 2) tem conhecimento e compreensão dos fundamentos da história e dos princípios e forma de governo dos Estados Unidos. "

A proposta da administração adota uma abordagem diferente. Um documento publicado depois do discurso de Trump diz: Antes de poderem se candidatar, os candidatos ao" Green Card "devem passar por um exame de educação cívica nos EUA, bem como demonstrar proficiência em inglês."

Essa nova exigência seria projetada para favorecer imigrantes de países de língua inglesa às custas de pessoas na América Latina, dizem especialistas.

3. Um residente permanente legal não poderá mais patrocinar um cônjuge.

De acordo com o plano de imigração da administração Trump, se uma única pessoa obtiver residência permanente e depois se casar, ela não poderá patrocinar um cônjuge até que ele se torne cidadão americano . Isso poderia significar que um casal tem que esperar entre 5 e 7 anos para que seu parceiro trabalhe e viva legalmente nos EUA.

4. A restrição à imigração legal continuará, particularmente contra vistos H-1B e estudantes internacionais.

Enquanto as taxas de rejeição de novos pedidos de visto H-1B aumentaram significativamente, de 6% no ano fiscal de 2015 para 32% no primeiro trimestre do ano fiscal de 2019, o governo diz que continuará a fortalecer os requisitos e o sistema de testes para tais solicitações.

Da mesma forma, o governo anunciou que estava pronto para retirar a autorização de trabalho H-4 dos cônjuges de cerca de 100.000 imigrantes com vistos de trabalho H-1B, o que seria um grande golpe para essas famílias de imigrantes nos Estados Unidos.

A administração também planeja propor novos cursos, juntamente com taxas mais altas para os estudantes internacionais, bem como maiores exigências para que eles possam permanecer legalmente nos EUA depois de concluírem seus estudos.

 

Law Office of Witer DeSiqueira

Fonte: www.laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.