POR QUE AS REDES SOCIAIS PODEM SER UM PERIGO PARA IMIGRANTES SEM DOCUMENTOS?

Funcionários da ICE monitoram o Facebook e outras mídias para localizar imigrantes


Publicado em 05 Janeiro 2020

Compartilhe:      

POR QUE AS REDES SOCIAIS PODEM SER UM PERIGO PARA IMIGRANTES SEM DOCUMENTOS?

As autoridades do Departamento de Segurança Interna (DHS) aumentaram a vigilância das redes sociais para localizar imigrantes sem documentos.

Vários relatórios indicam que os oficiais de Imigração e Fiscalização Aduaneira (ICE) implementam estratégias para localizar pessoas que vivem nos Estados Unidos sem documentos, principalmente em redes como o Facebook.

Em outubro passado, o New York Times informou que os agentes usaram contas falsas do Facebook para monitorar estrangeiros, uma prática que vem aumentando, de acordo com outros relatórios, como o Business Insider.

Um caso foi o de uma mulher chamada Gladys Díaz Tadeo, que postou um anúncio sobre a venda de uma piñata que ela havia feito com suas três filhas em um grupo privado de compra e venda no Facebook. No dia seguinte, uma conta de rede social com um "nome latino-americano" e uma foto de perfil de um cachorro responderam.

Díaz concordou em encontrar a pessoa em um banco local para vender a piñata, mas quando lá chegou, haviam dois agentes do ICE que a estavam esperando para algemá-la. Ela foi deportada para o México três semanas depois e a conta do Facebook que havia respondido à sua listagem foi excluída.

Outro caso abordado pelo The Intercept indica que um homem chamado "Sid" vive nos EUA desde que tinha um ano de idade. Ele agora é casado e tem filhos americanos, mas foi deportado para o México por um crime não violento que envolvia bens roubados de uma loja de carros. O homem voltou como indocumentado.

“Sid” achou uma boa ideia usar seu nome legal para se registrar no Facebook, mas sua conta foi localizada pela ICE, porque o imigrante nascido no México também tinha uma carteira de motorista para imigrantes indocumentados da Califórnia. Então os agentes fizeram um cruzamento de dados.

"No caso de Sid, os oficiais da ICE começaram a monitorar o perfil do Facebook depois que foi confirmado que era uma coincidência (em sua pesquisa)", diz The Intercept. "Quando Sid fez login no Facebook em uma loja Home Depot em 24 de maio de 2018 para comprar material de cobertura, os oficiais da ICE esperaram do lado de fora da loja até que ele deixasse o estacionamento, pararam e o prenderam."

Como ele já tinha uma ordem de deportação, ele foi expulso do país imediatamente, acusado de um crime grave de reentrada, como não documentado.

Com 14 estados oferecendo carteira de motorista para imigrantes sem documentos, a agência pode comparar dados se obtiver uma ordem de um juiz para revisar os dados de qualquer pessoa, embora o Times enfatize que não é a única maneira pela qual 'La Migra' pode localizar imigrantes sem documentos.

“Hoje, quem eles podem encontrar depende de quem deixou um rastro para os policiais seguirem:  pessoas com carteira de motorista, pessoas com seguro de carro, pessoas com contas de serviços públicos, pessoas que pagam impostos nos EUA, pessoas com contas redes sociais, pessoas com lares estáveis, pessoas com filhos nascidos nos Estados Unidos, pessoas que antes pensavam, mesmo que por um momento, que não estavam na lista ”, diz ele.

 

Law Offices of Witer DeSiqueira

Fonte: laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.