SEJA CAMINHONEIRO NOS EUA ATRAVÉS DO VISTO EB-2


Publicado em 12 Maio 2019

Compartilhe:      

SEJA CAMINHONEIRO NOS EUA ATRAVÉS DO VISTO EB-2

A crescente falta de caminhoneiros na América do Norte, especialmente nos Estados Unidos, segue sendo um dos principais desafios enfrentados por grandes transportadoras que operam no país. 

 

Conforme mostrado pelo portal Caminhões e Carretas (www.caminhoes-e-carretas.com), dados recentes do Census Bureau, o Departamento de Censo dos Estados Unidos, apontam para um déficit de 65 mil motoristas profissionais.  A estimativa do órgão é de que este número chegue a 180 mil nos próximos 10 anos. 

 

Apesar de salários anuais que variam de US$ 65 mil a US$ 250 mil (cerca de R$ 20 mil a R$ 80 mil ao mês, em conversão atual) e bônus de contratação de US$ 1.500 a US$ 2.500, os jovens norte-americanos não possuem interesse em seguir a profissão, devido às exigências físicas e a elevada carga de trabalho (normalmente 60 horas semanais).

 

Em 2016, o Law Offices of Witer DeSiqueira (www.witeradvogados.com) já anunciava  em seu artigo intitulado: “EMPRESAS DOS EUA PRECISAM DE 50 MIL CAMINHONEIROS” (http://www.witeradvogados.com/noticias/empresas-dos-estados-unidos-precisam-de-50-mil-caminhoneiros). Essa demanda só vem crescendo a cada ano.

 

Diante deste cenário preocupante é natural que muitos estrangeiros passem a cogitar a possibilidade de se tornar um caminhoneiro na América do Norte.

 

Algumas transportadoras estão dispostas a custear parte das despesas de processos de visto de imigração para motoristas estrangeiros, por conta da grande necessidade.

 

Mas como é possível exercer a profissão de forma legal nos Estados Unidos? Quais são os custos? Confira:

 

Duas formas de se tornar um caminhoneiro nos Estados Unidos:

 
Atualmente existem duas formas de exercer legalmente a profissão de caminhoneiro nos Estados Unidos. A primeira por conta própria e a segunda através de um contrato de trabalho previamente fechado com alguma transportadora norte-americana. 

Conta própria: Para ingressar por conta própria e exercer alguma profissão nos Estados Unidos é necessário a obtenção do visto EB2 NIW (National Interest Waiver), específico para trabalhar no país. O NIW é uma regra na legislação que permite, que para certos tipos de vistos de trabalho, cuja oferta de vagas é maior do que a oferta de mão-de-obra, seja autorizada a aprovação do visto de trabalho pelo USCIS (U.S. Citizenship and Immigration Services), sem passar pela liberação do DOL - Department of Labor (Ministério do trabalho americano). O valor dos custos é relativo, pois depende da quantidade de pessoas da família do caminhoneiro que irão imigrar, os custos para obtenção do visto podem variar de US$ 15 mil a US$ 20 mil (cerca de R$ 80 mil, em conversão atual) e o tempo estimado pode chegar até um ano e meio (18 meses). Esposa e filhos menores de 21 anos entram no mesmo processo do pai.

 

O Visto EB-2 é um Green Card, ou seja, o caminhoneiro que receber este visto se tornará residente permanente nos EUA, podendo desfrutar de quase todas as benesses de um cidadão americano.


Contrato de trabalho: Através deste método, não há custos para o trabalhador se o Employer/Sponsor (Empresa que irá empregar o motorista) se dispuser a arcar com as despesas do processo. E o tempo de espera para obtenção da autorização para imigração é ligeiramente menor.

 

Através de um contrato de trabalho previamente fechado com alguma transportadora nos Estados Unidos, ou seja, quando a empresa chama o motorista estrangeiro trabalhar, o profissional precisará do Visto H2B. Os custos para obtenção deste documento variam de US$ 10 mil a US$ 18 mil dólares e são de inteira responsabilidade da empresa contratante.

 

Porém o visto H2B é um visto temporário que não dá direito a imigração e o prazo dele varia de 6 meses a 3 anos, não podendo ser prorrogado.

 

O tempo para liberação deste tipo de visto varia entre 8 e 12 meses. 
Entretanto, o valor cobrado das empresas para as taxas do visto e autorização da imigração do profissional justificam o baixo interesse das transportadoras norte-americanas em contratar motoristas estrangeiros.

 

Outros custos:

Vale lembrar ainda que os custos para se tornar um caminhoneiro nos Estados Unidos não se restringem apenas as questões imigratórias. Mas também a obtenção da habilitação no país e até a compra de um caminhão próprio, se for esta a intenção do caminhoneiro, uma vez que, as maiores rendas são pagas os profissionais que exercem a profissão de maneira autônoma.

Além do visto, o profissional estrangeiro que pretende exercer a profissão de caminhoneiro nos Estados Unidos precisará da carteira de motorista comercial, conhecida como CDL License. Entretanto, não há um valor fixo para obtenção da habilitação, uma vez custos variam por estado. Na Flórida, por exemplo, os valores podem variar entre US$ 1.500 e US$ 3 mil (cerca de R$ 6 mil a R$ 12 mil, em conversão atual).

No caso da compra do próprio caminhão, os custos são ainda maiores. Dependendo do modelo, ano e carroceria, os valores para a compra de um caminhão nos Estados Unidos podem ultrapassar a marca de US$ 150.000 (cerca de R$ 585 mil, em conversão atual). 
 

Cultura (Choque Cultural)

 

A questão cultural também deve ser levada em conta, afinal não estamos falando de uma mudança de cidade ou estado, mas sim de uma mudança de país. Ou seja, os Estados Unidos possuem costumes e práticas diferentes da população brasileira, como por exemplo na culinária, nas relações interpessoais, idioma (inglês fluente será indispensável), religiões etc. Inicialmente pode parecer uma questão de pouco peso, mas não. Saber respeitar e lidar com diferentes questões culturais mesmo que sejam contrárias aos seus princípios é fundamental para a sobrevivência em um novo país junto ao seu povo.

 

Uma boa assessoria de imigração pode minimizar todas estas dificuldades.


Decisão a se pensar

 

Diante de todas essas questões, nota-se que a decisão de se tornar um caminhoneiro nos Estados Unidos não é simples e requer um alto investimento. Entretanto, em caso de decisão positiva a forma correta é procurar os meios legais, evitando assim problemas imigratórios e riscos de vida.

 

Mas vale lembrar ainda que, apesar do alto custo é possível seguir a profissão na América do Norte, os salários também estão bem acima da média brasileira, sem contar na qualidade de vida, segurança, educação de primeiro mundo para os filhos.

 

 

Law Offices of Witer DeSiqueira

Mara Pessoni

Fonte: www.caminhoes-e-carretas.com

          www.dol.gov

          InfoMoney.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.