VISTO DE TURISTA NEGADO, O QUE FAZER?


Publicado em 09 Setembro 2018

Compartilhe:      

VISTO DE TURISTA NEGADO, O QUE FAZER?

Como lidar com as rejeições de visto de turista (e o que você pode fazer para evitá-las).

A pior parte de uma viagem para os Estados Unidos é o processo de solicitação de visto,  passar por tudo isso, e então ter o visto negado. Ouvir as palavras “Lamentamos informar-lhe que seu visto foi negado”, “Você não atendeu às qualificações”, “Não temos certeza de sua intenção de deixar o Brasil e depois retornar”, “Por favor, espere por 3 meses até que você possa reaplicar”, etc. pode ser realmente desolador. Eu ouço algumas histórias sobre pessoas que venderam suas propriedades como imóveis e móveis na esperança de encontrar pastos mais verdes nos Estados Unidos e foi totalmente destruído pela rejeição do visto.


Eu estou aqui para ajudá-lo em como lidar com rejeições de visto de turista (não é o fim do mundo! Tente e tente até conseguir!). E o que você pode fazer para evitá-lo. Leia atentamente e tenho certeza que este artigo pode salvar você de outro desgosto!

COMO EVITAR REJEIÇÕES DE VISTO?


1) Preencha todos os documentos necessários. Todas as embaixadas e consulados exigem o mesmo conjunto de documentos para o pedido de visto, por isso certifique-se de ter tudo pronto e não perca nem um único. Isso geralmente inclui:

    - Extrato bancário / Certificado bancário nos últimos 3 ou 6 meses.

    - Formulário DS-160 devidamente preenchido.

    - Passaporte que é válido por mais 6 meses antes do seu voo pretendido;


Seguro de viagem, se puder ser fornecido.  Note que isto não é comum no Brasil, mas se você apresenta um seguro de saúde que cobre você durante sua estadia nos EUA será mais um motivo que prova seus vínculos com o Brasil.


2) Prove seus vínculos no Brasil o máximo que puder. Isso pode ser provado com o fornecimento de documentos adicionais, como sua Carteirinha de Estudante e Certificado de matrícula escolar, se você for um estudante, seu boletim e / ou declaração da escola. Se for um empresário, Registro de empresas e CNPJ, se você for um empreendedor sem registro tente demonstrar o que faz com exemplos reais de seu trabalho.

Você também pode incluir Registro de Carro, Títulos de Terrenos / Condomínios, Comprovante de Investimento, Contrato de Arrendamento em seu favor, etc., se tiver algum.

Se você não tem vínculos com o Brasil e se você tem 25 anos de idade ou menos apresente suas comprovantes de viagens internacionais antes do seu pedido de visto.  Isto poderá ajudar a demonstrar que você faz viagens frequentes ao exterior. 

3) Colete carimbos no passaporte, carimbos são ótimos amigos. Se em sua primeira viagem internacional seus pais lhe levaram para países mulçumanos prepare-se para a possibilidade de ter seu visto negado. 

Por isso, sugiro que você percorra a América do Sul primeiro e colete carimbos no passaporte. Você sempre pode atravessar o Brasil para o Paraguai, Argentina, Uruguai, Bolívia e outros.  Tente evitar países bolivarianos Você também pode cruzar a fronteiras da Colômbia. Além de viajar e aproveitar, você também receberá muitos carimbos no passaporte e maiores chances de aprovação para o seu próximo visto para os Estados Unidos.

4) "Vista como você quer ser abordado". Embaixadas e Consulado exigem uma entrevista e lembre-se: "Você nunca tem uma segunda chance para causar uma segunda impressão". Então, vá em frente e coloque roupas decentes - calças largas, sapatos fechados e uma camisa polo / mangas compridas para homens, roupas mais clássicas para as mulheres, estas não devem exagerar nos adereços como joias e bijuterias.


Olha o que você diz que é - se você é um estudante, então você deve se vestir como um (não necessariamente no seu uniforme escolar, mas se você tiver aula no mesmo dia, porque não?), Se você é um empresário, então use algo semiformal para formal. Não vista Branco senão trabalha na área da saúde.


5) Forneça apenas documentos autênticos. Não se atreva a dar-lhes um documento falso, porque assim que descobrirem, será negado o seu visto; E você estará na lista negra por 100 anos. 


6) Tenha um "passo de elevador de 2 minutos", mas de forma breve, sincera e concisa. Isto é muito importante. A maioria das perguntas feitas pelos cônsules pode ser respondida por no máximo 5 palavras, mas não faça isso - responda de forma breve, mas completa. As perguntas mais frequentes são: “Que tipo de trabalho você tem?”, “Com quem você está viajando?”, “Qual é o objetivo da sua viagem?”, “Quem vai pagar por isso?” Etc. Por favor, prepare uma resposta muito rápida!


7) Seja confiante. A falta de confiança pode ser vista em sua aura geral - seus olhos, sua voz, suas mãos, o modo como você está, e até mesmo o modo como você anda. Então, certifique-se de que isso não apareça ou demonstre nervosismo. É normal estar nervoso, mas não além do limite natural do ser humano! Você precisa relaxar! Essas pessoas não mordem e estão lá apenas fazendo seus trabalhos. E também estão sobre pressão para descobrir quem são os verdadeiros turistas dos que irão ficar ilegais nos Estados Unidos. 

Supondo que você fez todas essas dicas e seu visto ainda foi rejeitado, então pode haver algo errado com a forma como sua entrevista foi conduzida ou com seus documentos. Então, repasse todos os seus documentos novamente e, acima de tudo, verifique com seu advogado sobre os detalhes da entrevista, tente lembrar-se de sua entrevista e guarde com você a carta de negativa de visto, seu advogado vai precisar dela para te orientar melhor, e, a partir daí, você saberá o que fazer em seguida.

 

Na semana que vem vou lhes dar mais dicas sobre o que deu errado e como retificar seus DS-160.

 

Law Office of Witer DeSiqueira

Dr. Witer DeSiqueira, esq.

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.