AS 4 DOENÇAS PARA AS QUAIS O USCIS PODERIA NEGAR O "GREEN CARD" A UM IMIGRANTE

Existem também outras condições que complicariam a obtenção de qualquer benefício migratório.


Publicado em 04 Novembro 2018

Compartilhe:      

AS 4 DOENÇAS PARA AS QUAIS O USCIS PODERIA NEGAR O

A caravana migrante desencadeou todos os tipos de teorias conspiratórias, incluindo a que os centro-americanos trazem com elas doenças controladas há muitos anos no mundo, como a varíola.

 

Recorde-se que no início dos anos 80 uma campanha global de vacinação eliminou a doença, ao contrário do que dizem painelists convidados ao programa "Lou Dobbs tonigh", da Fox Business Network- da estação de TV que mais falou contra os centro-americanos, disse que, além de varíola, os imigrantes foram infectados com mielites- similares a poliomielite, uma doença que as causas são desconhecidas e mais de um milhão de estadunidenses sofre.

 

Em meio à controvérsia, o escritório de Cidadania e Serviços de Imigração (USCIS) compartilhou uma imagem de como uma doença pode ser motivo para a rejeição de um estrangeiro a entrar no país, tomando como exemplo uma grave conjuntivite conhecida como o tracoma, que era de contágio fácil.

 

"Imigrantes em Ellis Island (Nova York) teve que passar por exames médicos dos médicos do Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos para serem admitidos no país", disse USCIS em sua mensagem que acompanha uma fotografia sem data, mas pode ser do começo do século XX. "O tracoma, uma doença ocular contagiosa, foi a causa mais frequente de exclusão médica".

 

Atualmente, todos os imigrantes, estudantes e trabalhadores estrangeiros devem apresentar evidências médicas de não sofrer de doenças que o governo dos EUA considera como um fator de inadmissibilidade:

  • Gonorréia
  • Lepra infecciosa
  • Sífilis
  • Tuberculose.

 

"Os candidatos que têm doenças transmissíveis de importância para a saúde pública são inadmissíveis", diz a autoridade no Capítulo 6 do seu Manual de Políticas, que se refere às condições estabelecidas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), para que se aplicam a exames médicos durante o processo de obtenção de vistos de estudante, trabalho e "green card".

 

Sobre sífilis, USCIS esclarece que o relatório deve estar em "fase infecciosa", enquanto a tuberculose (TB) deve estar em seu "estado ativo", mas sobre esta condição faz alguns esclarecimentos.

 

"Apenas um diagnóstico de TB Classe A pode tornar um requerente inadmissível para os Estados Unidos", acrescenta a autoridade, observando que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) considera que a Classe A significa que a doença é clinicamente ativa e transmissível.

 

O USCIS não é a agência que determina essa regra, mas o Departamento de Saúde.

 

O capítulo 7 do manual lista outras condições relacionadas à saúde mental, que podem representar um risco para a pessoa, bem como considerações sobre alcoolismo e dependência de drogas.

 

Citando a Lei de Imigração e Nacionalidade (INA), o capítulo 9 do manual do USCIS afirma que os imigrantes devem ter as vacinas correspondentes para as seguintes doenças:

 

  • Caxumba
  • Sarampo
  • Rubéola
  • Pólio
  • Difteria
  • Tosse convulsa
  • Influenza Haemophilius tipo B
  • Hepatite A e B
  • Varicela
  • Pneumonia pneumocócica
  • Rotavírus
  • Meningococo (contra meningite)

 

Deve-se notar que existem países onde existem tipos de doenças que a autoridade de migração poderia considerar um risco para os EUA, portanto dependerá de onde a pessoa que deseja se estabelecer no país se origina, para sugerir e solicitar testes detalhadamente.

 

Lembre-se de que cada caso é único e é importante consultar um advogado antes de preencher qualquer solicitação junto ao USCIS para evitar gastos desnecessários e problemas legais.

 

 

Law Office of Witer DeSiqueira

Fonte: www.laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.