ICE VAI AUMENTAR A DEPORTAÇÃO DE FAMÍLIAS COMPLETAS

Matthew Albence ressalta que eles monitoram aqueles quem não comparecem às audiências na corte.


Publicado em 15 Dezembro 2019

Compartilhe:      

ICE VAI AUMENTAR A DEPORTAÇÃO DE FAMÍLIAS COMPLETAS

O diretor interino do escritório de Imigração e Fiscalização Aduaneira (ICE), Matthew Albence, confirmou que procurará deter mais famílias de imigrantes sem documentos que não tenham atendido às ordens ou nomeações dos tribunais de imigração.

 

"As famílias que procuramos são aquelas que tiveram a oportunidade de aproveitar o devido processo no sistema judicial de imigração e não se apresentaram", disse ele durante uma entrevista coletiva na Casa Branca. "Cerca de 87%, segundo a última vez que verificaram os números dos casos que foram colocados no processo acelerado, que nem sequer se apresentaram para sua audiência inicial".

 

Ele argumentou que, uma vez que os juízes determinam que uma pessoa deve ser deportada, os agentes da ICE devem fazer esse trabalho.

 

"Aqueles que passam pelo processo judicial e são condenados a serem expulsos por um juiz de imigração, cabe a nós executar essas ordens de remoção para que haja integridade no sistema", disse ele.

 

Albence considerou que essas ordens devem ser cumpridas, pois é a única maneira pela qual a integridade do sistema é alcançada.

 

"Nosso sistema não terá integridade se essas ordens de deportação não forem realmente executadas", disse ele. “Então, continuaremos, como dissemos quando iniciamos a operação desta unidade familiar, continuaremos fazendo isso. Todos os dias temos equipes que vão atrás dessas unidades familiares.”

 

Descartou que a perseguição a esses grupos é uma estratégia de dissuasão para impedir que mais unidades cheguem aos Estados Unidos sem documentos legais, além de afirmar que mais e mais famílias evitam recorrer à justiça, embora ele não tenha fornecido números.

 

"O número de famílias que ainda não comparecem às audiências e recebem ordens de expulsão continua a crescer", afirmou.

 

Albence destacou a aplicação de testes de DNA para confirmar que uma pessoa faz parte de uma família quando chega à fronteira, para processar sua deportação em conjunto, sem deixá-la livre.

 

“Estamos alcançando uma taxa de 15% de indivíduos ou famílias que se apresentam como famílias que realmente não são. E estamos processando esses casos”, afirmou.

 

No ano fiscal de 2019, houve um crescimento nas deportações, de 256.085 remoções no ano fiscal de 2018 para 267.258 pessoas expulsas.

 

Law Office of Witer DeSiqueira

Fonte: www.laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.