NOVO SISTEMA DE RECONHECIMENTO FACIAL NA FRONTEIRA COMEÇA A FUNCIONAR NESTE VERÃO

Essa tecnologia inflama os alarmes de grupos que defendem os direitos civis e os imigrantes nos EUA.


Publicado em 06 Junho 2018
El Diario NY

Compartilhe:      

NOVO SISTEMA DE RECONHECIMENTO FACIAL NA FRONTEIRA COMEÇA A FUNCIONAR NESTE VERÃO

Em agosto, a Patrulha de Fronteira implementará um novo sistema para escanear os rostos dos motoristas quando eles deixarem os EUA, relatou The Verge.

 

O programa, chamado Vehicle Face System ou (VFS), está programado para entrar em operação na fronteira de Anzalduas, no extremo sul do Texas, e está programado para permanecer em operação por um ano inteiro.

 

Atualmente, o projeto está em processo de revisão de privacidade e deverá ser anunciado oficialmente e submetido ao Federal Register nos próximos meses.

 

Um porta-voz da Patrulha de Fronteira disse ao The Verge que o objetivo do projeto será "avaliar a captura da biometria facial de viajantes que entram e saem dos Estados Unidos e comparar essas imagens com fotos arquivadas em propriedades do governo".

 

Ser capaz de acompanhar a entrada e a saída nas fronteiras terrestres tem sido um desafio para as autoridades de migração há anos, então o governo espera que este novo sistema com câmeras mais sofisticadas e equipadas com reconhecimento facial nas fronteiras terrestres lição de casa.

 

Testes relacionados à nova câmera estão em andamento desde 2016, inicialmente em colaboração com Oak Ridge National Labs, no Tennessee.

 

O projeto VFS é baseado na tecnologia plenaptic, que permite que um único sensor capture imagens em vários comprimentos focais simultaneamente. Os sistemas tradicionais de reconhecimento facial são frequentemente confundidos com os reflexos móveis do pára-brisa de um carro, dificultando o isolamento de características faciais.

 

Este sistema visa capturar uma imagem de reconhecimento facial para cada passageiro em cada carro, tanto na pista de entrada quanto na pista de saída dos EUA.

 

Essas imagens serão comparadas às fotos de vistos e passaportes que já estão arquivados no banco de dados da Patrulha de Fronteira, verificando os viajantes antes mesmo de chegarem ao posto de controle.

 

Resta saber até que ponto o sistema funcionará na prática e quão amplamente ele pode ser implementado.

 

No entanto, este tipo de programa difundido de reconhecimento facial nas passagens de fronteira já levantou preocupações entre os grupos de liberdades civis, que temem que a porta possa ser aberta a uma vigilância mais ampla por parte do governo.

 

"Este é um caminho para o governo federal monitorar as pessoas, monitorar quem está indo para onde e o que elas estão fazendo lá", disse Mitra Ebadolahi, um advogado do ACLU Border Litigation Project.

 

"Em uma sociedade livre, todos nós devemos ser capazes de viver com segurança sem sermos vigiados e atacados pelo governo federal."

 

 

Law Offices of Witer DeSiqueira

www.witeradvogados.com

Fonte: eldiariony.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.


Fonte: El Diario NY