ONU: 146 MIL CENTRO-AMERICANOS RETORNARAM A SEUS PAÍSES ESTE ANO DOS EUA E DO MÉXICO

Seis mil ainda permanecem em Tijuana na chamada "caravana migrante".


Publicado em 02 Dezembro 2018

Compartilhe:      

ONU: 146 MIL CENTRO-AMERICANOS RETORNARAM A SEUS PAÍSES ESTE ANO DOS EUA E DO MÉXICO

146.883 pessoas no Triângulo Norte da América Central, umas das áreas mais pobres e violentas do mundo formado por Guatemala, Honduras e El Salvador devolvidos aos seus países nos primeiros 9 meses do ano, depois de deixar os EUA e o México, de acordo com o relatório quarta-feira pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Este é um aumento de 44% sobre o mesmo período (de janeiro a setembro) 2017, quando o retorno foi de 102.019 pessoas, disse à Deutsche Welle.

 

Em 2018, 50,9% (74.808 migrantes) deixaram o México; 48,9% (71.886) Os EUA e as demais 188 pessoas estavam em lugares não identificados.

 

A grande maioria (85,3% equivalentes a 109.878 migrantes) são homens adultos. Havia também 18.962 mulheres adultas e 18.042 menores.

 

Em particular Guatemala cresceu 54,8% em relação a 2017, de 45,791 a 70,907 pessoas voltaram; e Honduras mostrou um aumento de 61,4%, de 35.327 para 57.035.

 

El Salvador é o único dos três países que experimentaram uma redução dos retornados, neste caso uma queda de 9,4%, passando de 20.901 pessoas em 2.017-18,940 este ano.

 

Enquanto isso, as queixas sobre a superlotação nas instalações de hospedagem em Tijuana (México) para os migrantes caravana que querem entrar nos EUA destinam-se multiplicar.

 

No abrigo instalado no ginásio esportivo Benito Juarez, preparado para acolher dois mil migrantes, as autoridades da cidade disseram que haviam 6.062 pessoas na última contagem: 516 meninas, 542 crianças, 1.127 mulheres e 3.877 homens.

 

Esta situação foi identificada como uma potencial "bandeira vermelha" pelas autoridades de saúde e que pode levar a doenças respiratórias, intoxicação e contaminação dos alimentos.

 

Tijuana Mayor, Juan Manuel Gastelum, disse que a assistência aos imigrantes a cada dia custa à cidade cerca de US $ 24.600.

 

Law Office of Witer DeSiqueira

Fonte: www.laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.