BRASIL E EUA FECHAM ACORDOS PARA FACILITAR AS EXPORTAÇÕES


Publicado em 25 Outubro 2020

Compartilhe:      

BRASIL E EUA FECHAM ACORDOS PARA FACILITAR AS EXPORTAÇÕES

Baixar Podcast

Eliminando burocracias, diminuindo tempo e custos para as empresas exportadoras, assim o Brasil e os EUA fecharam vários acordos comerciais esta semana. A expectativa é de o Brasil aumentar as exportações para os EUA em 10% nos próximos 5 anos, o objetivo é tornar o país mais competitivo lá fora, aumentando as exportações e criando mais emprego aqui dentro. O Presidente Bolsonaro afirma que é o primeiro passo para um acordo de livre comércio entre os dois países.

Além disso, os EUA vão investir mais de 1 bilhão de dólares em telecomunicações e logística no Brasil. O investimento em telecomunicações é na telefonia 5G.

Em sua fala no evento, o Presidente Jair Bolsonaro agradeceu a cooperação do presidente Donald Trump no incentivo de ingresso do Brasil na OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico e reforçou a boa relação entre os dois países, ambos os representantes dos países também apontaram para uma flexibilização futura na imigração.

O que tudo isso quer dizer: estreitando os laços comerciais com o Brasil, os EUA vão afrouxando regras para a inserção de empresas e empresários brasileiros nos EUA. É o momento de aproveitar e internacionalizar sua empresa, abrir filial nos EUA, ou um Centro de Distribuição, ou franquias. Qualquer que seja o formato do business, é hora de alçar novos voos e surfar na onda desta abertura comercial e possível flexibilização migratória também.

Para iniciar um processo de internacionalização é necessário analisar e conhecer os produtos brasileiros mais vendidos nos Estados Unidos, pois, além de mercadorias já consolidadas no comércio entre as duas nações, novas oportunidades e mercados podem surgir de acordo com as tendências de consumo. Por isso, é fundamental estar por dentro das novidades para planejar novas estratégias.

 

Em 2019, as vendas do Brasil para os Estados Unidos somaram US$ 29,7 bilhões – um crescimento de 3,6% na variação anual. Isso coloca o país como o segundo maior importador de produtos brasileiros. Entre janeiro e julho de 2020, o valor é de US$ 11,8 bilhões.

 

Mara Pessoni

Law offices of Witer DeSiqueira

Colaboração: oxfordusa.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.