COMPARANDO O VISTO L-1 COM OUTRAS CATEGORIAS DE VISTO


Publicado em 04 Abril 2021

Compartilhe:      

COMPARANDO O VISTO L-1 COM OUTRAS CATEGORIAS DE VISTO

Baixar Podcast

O visto L-1 serve para facilitar as empresas internacionais que buscam transferir seus funcionários estrangeiros para escritórios nos Estados Unidos. Uma visão geral dos benefícios associados à categoria de visto L aparece abaixo.

 

Benefícios do visto L

 

 

  • Manter residência estrangeira durante a estada nos Estados Unidos;
 
  • Elegível para buscar residência permanente;
 
  • Cônjuges e filhos menores de 21 anos acompanham o aplicante;
 
  • Dependentes (ou seja, titulares de L-2) capazes de trabalhar com um EAD (Employment Authorization, Doc).
 

Além do breve resumo dos benefícios tabulados acima, o L-1 tem uma série de outras vantagens. Geralmente, é mais útil apontar os prós de qualquer assunto por meio de uma comparação com assuntos semelhantes. Consequentemente, neste artigo, compararemos o visto L-1 com outras categorias de visto, na esperança de que essas informações possam ajudá-lo a decidir qual categoria de visto melhor atende às suas necessidades.

 

L-1 vs. E-1

Como o L-1, o visto E-1 é uma classificação de não-imigrante com base no emprego que é frequentemente usada por pequenas empresas que buscam transferir proprietários ou funcionários para os EUA.

 

Há uma distinção crucial, no entanto: o E-1 é projetado exclusivamente para comerciantes ou investidores de tratados que vêm aos Estados Unidos para se envolver no comércio entre os EUA e o país em que trabalham. As três principais condições que os titulares de E-1 devem atender são:

  1. Deve existir um tratado entre os Estados Unidos e o país estrangeiro sob cujo tratado o status E é buscado; e
  2. A propriedade majoritária ou o controle da empresa investidora ou comercial deve ser detida por cidadãos do país estrangeiro sob cujo tratado o status E é buscado;
  3. Cada funcionário ou diretor da empresa que está buscando o status E de acordo com o tratado deve possuir a cidadania do país sob cujo tratado o status é solicitado.

Existem atualmente poucos países que celebraram tais tratados com os Estados Unidos. (Se quiser ver a lista, ela está disponível aqui .) Consequentemente, o visto E não está disponível para pessoas da maioria dos países. Dependendo de onde você é e do tipo de negócio em que está envolvido, o L-1 pode ser a melhor opção.

 

Os portadores de E-1 têm permissão para permanecer nos Estados Unidos com extensões ilimitadas de dois anos de seu status E, desde que continuem a atender às qualificações do visto e a manifestar a intenção de não imigrante. Além disso, seus dependentes podem acompanhá-los, e seus cônjuges podem trabalhar nos Estados Unidos.

 

L-1 vs. B-1


O visto B-1 é uma classificação temporária de visitante de negócios usada por estrangeiros que vêm aos Estados Unidos para viagens de negócios curtas em nome de um empregador no exterior. De um modo geral, um B-1 pode ser usado para atividades comerciais, como abertura de contas bancárias, assinatura de contratos e assim por diante. Para obter um B-1, os estrangeiros devem demonstrar o seguinte:

  • O objetivo da viagem é entrar nos Estados Unidos para negócios de natureza legítima.
  • Eles planejam permanecer por um período específico e limitado.
  • Eles têm fundos para cobrir as despesas de sua viagem e estadia nos Estados Unidos.
  • Têm residência fora dos Estados Unidos que não têm intenção de abandonar, além de outros vínculos que garantem seu retorno ao término de sua visita.

 

Como o L-1, o B-1 pode ser particularmente útil durante os estágios iniciais de abertura de uma nova empresa nos EUA

No entanto, existem desvantagens para a categoria de visto B-1 que podem tornar um visto L-1 mais atraente, especialmente para empregadores e especialmente se o trabalhador estrangeiro tiver que permanecer no país por um longo período.

 

Tecnicamente, a duração da estadia autorizada para um titular de B-1é de até seis meses, com possibilidade de prorrogação de até mais seis meses. A duração da estada é decidida por um oficial de imigração no momento da entrada do titular do visto no país. Na realidade, a maioria dos vistos B-1 são aprovados por menos de seis meses de cada vez e apenas em raras circunstâncias um período de entrada superior a seis meses seria concedido. Como o visto B-1 é um visto temporário de visitante de negócios, o portador do visto não pode legalmente trabalhar nos Estados Unidos. E assim, a menos que outro tipo de status com autorização explícita de emprego seja obtido, os portadores de B-1 não podem trabalhar; na verdade, trabalhar com B-1 é uma violação de status. Isso significa que quando a atividade empresarial avançou a tal ponto que constitui emprego, o titular do B-1 corre o risco de invalidar seu status.

 

Os titulares de B-1 podem mudar seu status para outro status de não imigrante, como um visto H-1 ou B-2, mas é importante observar que eles devem ser cautelosos ao fazer isso, especialmente se solicitarem uma mudança de status logo após sua entrada nos EUA com um visto B-1. O USCIS considera o ato de usar o B-1 como um trampolim para um status diferente de não imigrante exclusivamente com o propósito de evitar os procedimentos de inscrição mais rigorosos associados ao novo status como impróprio e fraudulento. Podem ocorrer sérias ramificações, incluindo a possibilidade de deportação. Esse é outro motivo pelo qual, se os trabalhadores não imigrantes desejam permanecer nos EUA ou se seus empregadores precisam que eles permaneçam no país por um longo período, a melhor opção de visto pode ser o L-1.

 

L-1 vs. H-1B


O visto H-1B é uma categoria de visto de não-imigrante projetada para permitir que os empregadores dos EUA recrutem funcionários estrangeiros altamente especializados para viver e trabalhar nos EUA por um determinado período de tempo. Um H-1B é muito semelhante a um L-1B em muitos aspectos, como o procedimento de petição (como o L-1, uma petição H-1B é arquivada pelo empregador em nome de um empregado). Além disso, assim como o L-1, o H-1B é um visto de dupla intenção, o que significa que os portadores desse status podem solicitar residência permanente sem prejudicar seu status H-1B ou seus pedidos de visto nos consulados dos EUA no exterior.

A principal diferença entre as duas categorias é que o privilégio de emprego concedido a um portador de L-1B, em teoria, não pode ser substituído por um trabalhador americano. De acordo com um H-1B, o empregador deve garantir que seu trabalhador estrangeiro especializado receba o salário vigente para o cargo associado na área geográfica de emprego. Uma vez que um portador L-1 está nos Estados Unidos em nome de entidades estrangeiras qualificadas, um portador de visto L não precisa receber o salário vigente para o cargo que assume. Além disso, o H-1B está sujeito a uma cota anual e requer um mínimo de diploma de bacharel. Em contraste, um portador de L não precisa de um diploma, nem os portadores de visto L-1B estão sujeitos a uma cota anual. O Congresso não estabeleceu limites para o número de vistos L-1B que podem ser aprovados todos os anos. Esta é uma vantagem clara para o visto H-1B, uma vez que os potenciais beneficiários do L-1B não terão negado um L-1B apenas porque um limite foi atingido.

 

L-1 vs. EB-1C


Na verdade, não há “conflito” entre esses dois tipos de visto. Um dos principais benefícios do visto L-1A especificamente é que ele fornece um caminho direto para a residência permanente (Green Card) por meio do visto EB-1C.

 

O EB-1C é uma classificação de visto de primeira preferência com base no emprego, criada especificamente para gerentes e executivos que atendem aos padrões do L-1 e estão interessados ??em se tornarem residentes permanentes legais. Esses estrangeiros são considerados "trabalhadores prioritários" e o governo dos Estados Unidos permite que 40.000 vistos de imigrante EB-1 sejam concedidos a cada ano. Embora estar no status L-1A não seja um pré-requisito para esta categoria, se um estrangeiro teve status L-1A anterior e uma posição de trabalho qualificatória permanente EB-1C nos EUA, ele ou ela terá um caso mais forte para uma petição de EB-1C.

 

Converter para um visto EB-1C de um L-1B pode representar um desafio maior, mas não é impossível. Os trabalhadores “especializados” que são beneficiários do L-1B muitas vezes não estão, mas podem estar, em funções executivas ou gerenciais em suas empresas. Nesse caso, o processo de transição de um L-1B para um EB-1C é muito mais simples.

 

Qual visto é certo para mim?


A resposta depende de você e depende de suas necessidades e preferências.

Obviamente, a orientação com experientes advogados de imigração poderá ajudá-lo significativamente a navegar pelos caminhos potenciais da imigração. A equipe do Law Offices of Witer DeSiqueira conta com profissionais experientes aptos a oferecer orientação especializada na seleção do melhor visto para você. 

 

Law Offices of Witer DeSiqueira

Dra. Mara Pessoni

OAB/GO – 61.550

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração.