O temido Trump causa aumento de tentativas de travessias na fronteira


Publicado em 20 Dezembro 2016
rotajuridica.com.br

Compartilhe:      

Um total de 47.214 indivíduos foram presos em novembro passado na fronteira sul da Califórnia ao Arizona. Além do mais, o número de cruzes de mortos pelo caminho está se tornando uma epidemia.

O aumento das famílias e crianças que tentam atravessar a fronteira de maneira irregular tem aumentado a cada dia de acordo com o CBP.  E não vai parar, asseguram ativistas.
O CBP divulgou estatísticas que revelam que um total de 47.214 indivíduos foram presos em novembro passado na fronteira sul, mais de 46.191 figuram nas estatísticas que foram presos em outubro e 39.501 em setembro, o que regista o “número crescente” de  sem documentos hoje presos na fronteira.
Além do mais, para a população brasileira, criou-se nas mentes a existência de uma “lei” denominada “CAI – CAI” que não existe em nenhuma publicação jurídica americana.  De acordo com a criação mirabolante toda pessoa que se entrega ao CBP tem direito a ter uma Court de imigração e será solto.
Nossos escritórios tem ouvido sim, casos em que pessoas são soltas para depois passarem por um julgamento, mas normalmente estas mesmas pessoas não contam a ninguém que ficaram por meses, normalmente, seis (6) meses, presos.

Petra Falcon, diretor da Promise Arizona, disse à Agência EFE que o medo está dirigindo migrantes para as fronteiras, apesar dos riscos que isso implica, porque eles têm medo das mudanças que podem ser implementadas a partir de 20 de janeiro, quando Donald Trump assume o cargo.
Além deste fator, levando em consideração somente os Brasileiros, a Embaixada Americana como também os Consulados no Brasil tem aumentado seu índice de negativas para vistos de turistas e mesmo visto de imigração.  Com as negativas tem aumentado o número de migrantes viajando para o México e de lá tentando atravessar a fronteira.

“Os imigrantes sabem que será vigilância mais pesada”, disse Petra Falcon na sexta-feira da semana passada.
Organizações como Desert Angels concordam que a avaliação e consideram que estas saídas de migração são o resultado do medo de imigrantes perderem sua “última” chance para atravessar a fronteira.
Francisco Martinez, um voluntário que assiste migrantes no deserto, disse à Agência EFE e culpou o presidente eleito Donald Trump, sendo o principal responsável pelo aumento de migração ilegal.

“Os imigrantes querem estar nos EUA antes de Trump chegar ao poder, porque eles sabem que Trump ameaçou com leis severas e prometeu reforçar as fronteiras”, disse Martinez.
O ativista dos sem documentados alertou para os perigos de atravessar a fronteira, entre os quais incluem baixas temperaturas, o abandono dos “coiotes”, ou traficantes de pessoas, animais e, em última análise, o crime organizado.

“O crime organizado tem se infiltrado com os migrantes e ofertado atravessá-los se os mesmos se comprometerem a levar uma pequena carga, somente que a carga é na realidade drogas, receberiam o passe livre, mas uma vez nos Estados Unidos este os abandonam à própria sorte e mesmo os entregam ao CBP”, disse ele.

*Witer DeSiqueira é a advogado do Law Offices of  Witer DeSiqueira.


Fonte: rotajuridica.com.br