HAVERÁ UM PLANO SOBRE IMIGRAÇÃO NA CÚPULA DAS AMÉRICAS


Publicado em 12 Junho 2022

Compartilhe:      

HAVERÁ UM PLANO SOBRE IMIGRAÇÃO NA CÚPULA DAS AMÉRICAS

Baixar Podcast

Na Cúpula das Américas, serão alcançados acordos sobre como enfrentar a imigração irregular na região, a partir das causas profundas, reconhecendo os esforços de diferentes países para evitar o caminho para os Estados Unidos.

Embora a vice-presidente Kamala Harris tenha avançado nos esforços dos Estados Unidos na América Central, na quinta-feira haverá uma declaração sobre questões de migração, disse Brian Nichols, subsecretário de Assuntos do Hemisfério Ocidental do Departamento de Estado, em entrevista.

“A declaração de quinta-feira… [é uma] declaração sobre imigração [que] apoia o processo de fazer mudanças fundamentais no nível hemisférico para promover uma migração mais ordenada”, disse Nichols.

Ele acrescentou que a abordagem do governo do presidente Joe Biden busca integrar todos os países que enfrentam esse fenômeno, que ele qualificou de "global", destacando que Brasil, Colômbia, Costa Rica, México e Panamá são algumas das nações que promoveu esforços semelhantes ao Status de Proteção Temporária (TPS) que os EUA têm.

“ A questão da migração [é abordada], primeiro focando nas causas da migração , mas também… promovendo uma migração segura e ordenada, promovendo oportunidades de imigração nos países da região”, disse ele em referência à abertura dos países mencionados no implementar políticas de migração específicas.

Ele reconheceu que os resultados não serão tão rápidos quanto os críticos das políticas do governo Biden, principalmente os republicanos, esperam.

“Não entramos na situação em que estamos de um dia para o outro, foi um processo muito longo e é um fenômeno global”, enfatizou. "A política do governo Biden é atacar a causa raiz da imigração irregular."

Acrescentou que o foco tem duas vertentes: atuação na América Latina e Caribe, além de ações em território norte-americano.

“Tentamos avançar em mudanças legais que possam fortalecer a capacidade do Departamento de Segurança Interna de administrar a fronteira”, defendeu.

O funcionário sugeriu responder em espanhol e ele o fez fluentemente, então a entrevista mudou de inglês para espanhol.

Um evento sobre imigração?

Como o problema da migração na América Latina e no Caribe continua crescendo e é uma questão constante nas agendas multinacionais, o subsecretário foi questionado se não era necessária uma cúpula especial sobre o assunto.

Em resposta, disse que a Cúpula das Américas trata do problema, mas que o diálogo não termina aí.

“O evento desta semana é uma cúpula, apenas a base das reuniões ministeriais que foram realizadas na Colômbia e no Panamá, em outubro e abril deste ano, está sendo construída”, disse. "Teremos a oportunidade de falar mais sobre essas questões no nível de ministros, talvez no nível da reunião da ONU em setembro."

Metas da Cúpula

O subsecretário Nichols destacou que o objetivo central do governo Biden é promover uma melhor qualidade de vida no Hemisfério Ocidental, para a classe média e para aqueles que aspiram a ser classe média.

Para isso, será mantida uma abordagem multitemática, tendo entre seus eixos como priorizar programas de saúde pública para enfrentar pandemias como a COVID-19.

"Os compromissos políticos que fazem parte da Cúpula, os compromissos bilaterais como região são para melhorar a qualidade da saúde no hemisfério e se preparar para a próxima pandemia", destacou.
Além da formação médica, o objetivo é oferecer acesso à internet banda larga para que os jovens possam continuar seus estudos.

O diplomata também destacou os esforços em meio ambiente e a importância de manter a defesa da democracia na região.

Nosso hemisfério se caracteriza por países democráticos e dentro dos compromissos que assumem em favor de medidas muito práticas para fortalecer a democracia, os processos eleitorais”, afirmou.

Witer DeSiqueira & Pessoni an International Law Corporation

Fonte: laopinion.com

 

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração