Witer, Pessoni & Moore An International Law Corporation ®

+55 (62) 9 8584-2101 – [email protected]

Imigração para os EUA através de um familiar – Family Reunion

Dra. Mara Pessoni – Advogada (OAB-GO – 61.550)

A imigração por um familiar é a forma mais comum de imigrar para os EUA. Um parente com Green Card pode solicitar a residência permanente para determinados outros parentes, e um parente cidadão americano, pode também solicitar a residência permanente para diversos outros familiares.
Cada caso, cada familiar tem suas especificidades no processo. Porém, é uma das formas de imigração cujas aprovações são mais certas.

“Parentes imediatos” de um cidadão americano

“Parentes Imediatos” refere-se aos pais, cônjuges e filhos (que não são casados e têm menos de 21 anos de idade) de um cidadão dos EUA. Parentes imediatos de um cidadão dos EUA podem imigrar para os Estados Unidos sem estarem sujeitos a quaisquer restrições numéricas, ao contrário de outros familiares próximos de cidadãos dos EUA e/ou residentes permanentes. Ou seja, podem requerer o estatuto de residente permanente sem terem de lidar com qualquer tempo de espera. Outros familiares próximos de cidadãos norte-americanos ou residentes permanentes são divididos em vários grupos chamados “Preferências”. Cada Preferência recebe uma cota numérica por ano para limitar o número de imigrantes admitidos nos Estados Unidos.


Outros familiares próximos de um cidadão dos EUA

Outros familiares próximos de um cidadão dos EUA podem qualificar-se para imigrar para os Estados Unidos, mas, ao contrário dos familiares imediatos de um cidadão dos EUA, estão sujeitos a um limite numérico de vistos de imigrante disponíveis todos os anos. Os familiares próximos são divididos em vários grupos chamados “Preferências”. Quanto maior a Preferência, mais rápido o estrangeiro será elegível para receber um green card.


Membros da Família de Residentes Permanentes

Cônjuges e filhos solteiros de um residente permanente também podem solicitar o green card. Eles são categorizados como o grupo de “segunda preferência” de pessoas elegíveis para imigração para os Estados Unidos.


Casamento entre pessoas do mesmo sexo e imigração

Em 26 de junho de 2013; a Suprema Corte dos Estados Unidos considerou no caso Estados Unidos v. Windsor que a interpretação federal de ‘casamento’ e ‘cônjuge’ conforme legislado na Seção 3 do ‘DOMA’ para as uniões estritamente heterossexuais era inconstitucional porque negava casais do mesmo sexo legalmente casados seu devido processo sob a Quinta Emenda. Esta decisão histórica eliminou uma proibição de décadas sobre o reconhecimento federal de casamentos entre pessoas do mesmo sexo e efetivamente abriu a porta para que casais do mesmo sexo fossem reconhecidos pelo governo federal e, assim, recebessem benefícios federais que também são conferidos a pessoas do sexo oposto. casais casados; incluindo o privilégio para cidadãos dos EUA e residentes permanentes legais de patrocinarem seus cônjuges nascidos no exterior para imigração para os Estados Unidos.

Em todos os casos, é aconselhável o acompanhamento de um advogado especializado em imigração para os EUA, pois, por mais simples que pareça, cada processo tem detalhes importantes, que, se perdidos, poderá levar a uma negativa do processo.


Witer, Pessoni & Moore an International Law Corporation

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *