Witer, Pessoni & Moore An International Law Corporation ®

+55 (62) 9 8584-2101 – [email protected]

Milhares de migrantes com pés feridos, desidratados e famintos imploram por um “corredor humanitário” no México

Fonte: laopinion.com

Diante de condições extremas, migrantes imploram ao governo mexicano um “corredor de transporte humanitário” para transportá-los para a Cidade do México

As sete horas de caminhada, algumas sob sol intenso, durante 30 quilómetros, ao passar pelo estado de Oaxaca, sul do México, minaram fisicamente esta terça-feira parte da caravana de migrantes ‘Êxodo da pobreza’ que depois se reagrupou e que o Governo mexicano dissolveu há uma semana, depois de deixar Chiapas como o maior de 2023.

A caravana avançou este dia em direção a San Pedro Tapanatepec, Oaxaca, com cerca de 1.000 migrantes encorajados, mas castigados física e mentalmente pelas intempéries até gritarem por ajuda humanitária.

Para chegar a Tapanatepec, os migrantes caminharam 30 quilômetros durante mais de sete horas, sob um sol forte, das 05h00 às 12h00, horário local, com uma temperatura de mais de 86 graus ao passarem pela rodovia Transistmiana.

Neste município localizado na zona oriental do Istmo de Tehuantepec, os organizadores pediram às autoridades de imigração mexicanas que criassem um corredor humanitário para evitar que centenas de famílias arriscassem a vida caminhando nas estradas.

Luis Rey García Villagrán, ativista e líder da caravana, anunciou na cidade de Los Corazones, a primeira cidade de Oaxaca onde chegaram depois de deixar para trás o estado vizinho de Chiapas, que a caravana “não pode mais continuar nas estradas”.

“Vamos pedir (às autoridades de imigração mexicanas) que nos proporcionem um corredor humanitário para que possamos chegar à Cidade do México de forma ordenada e humana, acima de tudo humana, para nos deixarem passar, se não quiserem nos dar documentos, sim “O governo federal não quer nos dar documentos que nos permitam passar.Por que querem que andemos à força?”, apontou.

Em Tapanatepec, as autoridades municipais improvisaram um acampamento para abrigar, sob uma lona e no chão de terra, centenas de migrantes que descansavam deitados em papelão, esteiras e os mais sortudos em tendas.

Este espaço, situado a cerca de 300 metros da autoestrada Transística, não dispõe atualmente de serviços médicos e de água potável . Algumas pessoas do município forneceram-lhes alimentos e água engarrafada, enquanto a autoridade municipal forneceu brinquedos a dezenas de meninos e meninas que viajavam com os pais.

A família venezuelana de Natalie Padrón, composta pelo marido e três filhas de oito, quatro e três anos, descansou neste acampamento. Os dois primeiros apresentam sinais de desnutrição e os menores sinais de autismo.

Entrevistada pela EFE, ela explicou que a saúde e os tratamentos das filhas são os motivos pelos quais elas insistem em vir para os Estados Unidos.

“E é melhor tentar entrar do que morrer sem tentar entrar lá, sim, ficamos na Venezuela, mas não é segredo para ninguém que na Venezuela não há medicamentos, não há trabalho, não há nada”, disse ele. confessado.

Natalie, 30 anos, também emigrou para retomar os estudos, que interrompeu no segundo ano do curso de medicina.

Segundo os activistas que lideram a caravana, o contingente permanecerá em Tapanatepec durante dois dias, aguardando uma resposta das autoridades que lhes permita viajar em autocarros e com salvo-condutos emitidos pelo INM para a Cidade do México.

Este êxodo ocorre após um aumento migratório sem precedentes em Dezembro, quando ocorreram mais de 10.000 travessias irregulares diárias na fronteira entre o México e os Estados Unidos, onde o Gabinete de Alfândega e Protecção de Fronteiras dos EUA (CBP) confirmou a chegada irregular de mais de 2,2 milhões de pessoas migrantes de Janeiro a Novembro de 2023.

Witer, Pessoni & Moore an International Law Corporation

OBS.: O propósito deste artigo é informar as pessoas sobre imigração americana, jamais deverá ser considerado uma consultoria jurídica, cada caso tem suas nuances e maneiras diferentes de resolução. Esta matéria poderá ser considerada um anúncio pelas regras de conduta profissional do Estado da Califórnia e Nova York. Portanto, ao leitor é livre a decisão de consultar com um advogado local de imigração

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *